O projeto

Olá!

Eu sou Amanda Brum, criadora do projeto Emagrece Bolotinha.

Bom, tudo começou no finzinho de 2012.

Eu estava bem insatisfeita com o meu corpo e cansada de fazer milhares de dietas que não me levavam a lugar nenhum. Já tinha feito Vigilantes do Peso, dieta dos pontos, dieta da lua, dieta de Berverly Hills, dieta do ovo, zilhões de dietas de revista, tomado injeções para emagrecer, fluoxetina, sibutramina, xenical, enfim, feito o diabo. E nada de eu conseguir emagrecer e manter o ponteiro da balança sob controle.

Eu já estava tão cansada e tão desanimada, que estava disposta a aceitar que era gorda e desistir de vez de tudo relacionado ao meu corpo, porque nada mais parecia dar certo.

Foi quando encontrei uma amiga que tinha emagrecido horrores em pouquíssimo tempo. Ela estava tão magra, mas tão magra e com uma cara tão saudável, que eu mal podia acreditar. Óbvio que quis saber o que ela estava fazendo. Foi aí que conheci a Dieta Dukan. Ela me contou que tinha comprado o livro, lido, e que estava seguindo essa nova dieta baseada em proteínas.

Voltei pra casa com aquilo na cabeça.

Conversei com o Gustavo, até então meu namorado, e ele me deu a maior força para seguir em frente com essa nova tentativa.

Comprei o livro “Eu não consigo emagrecer”, do médico francês Pierre Dukan, li com calma, anotando todas as minhas dúvidas, pesquisei a respeito delas em fóruns da internet no Brasil, nos EUA e na França, e me preparei psicologicamente para começar a dieta com força total logo na 1ª semana de 2013.

Eu prometi para mim mesma que aquela seria minha última tentativa de ficar magra. Que se eu não conseguisse, ia desistir e aceitar que era gorda mesmo. Mas, para isso, eu tinha que me comprometer a fazer tudo 100% correto. Senão não seria justo comigo mesma, não é mesmo?

Um dos instrumentos que usei para garantir essa honestidade foi criar um diário online, o “Emagrece Bolotinha”. Lá, comecei a relatar tudo o que estava acontecendo comigo, as receitas que estava testando, como estava meu humor, minhas dificuldades, o que estava fazendo para conseguir superá-las, etc, etc, etc.

 

Para que fique bem claro: o blog não surgiu e não existe até hoje porque eu acredito que todo mundo tem que emagrecer. Deus me livre disso! Não sou nem quero ser essas blogueiras que vivem em função de atividade física e dieta.

Emagrece Bolotinha é o meu lema de mim para mim mesma. A Bolotinha sou eu e eu criei essa marca para me lembrar o tempo todo que eu preciso domar, que eu preciso manter sob controle, que eu preciso “emagrecer” as ideias e os desejos da Bolotinha que vive dentro de mim se eu quiser manter o peso sob controle.

Sacou?

É uma brincadeira. Uma piada interna. Um jeito divertido e carinhoso de eu lidar com essa minha voz interna que parece sempre querer me levar para o lado negro da força.

Enfim.

O blog decolou, ficou famoso, ganhou repercussão nacional e eu passei a ser seguida por milhares de pessoas, que começaram a trocar experiências comigo, me ajudando a atingir os meus objetivos, ao passo que eu também as ajudava a alcançar as metas que elas tinham desenhado para si mesmas.

Em um ano emagreci 13kg.

No primeiro semestre de 2014 perdi mais 3kg, atingindo, finalmente, os 60kg que tinha de meta.

Meu manequim, que havia chegado a 46, tinha voltado para o meu amado e desejado número 38.

Foi suado, foi difícil, mas valeu a pena.

Fiquei feliz pra caramba.

Mas minha cabeça não estava boa.

Porque mesmo super magra, eu não conseguia me enxergar assim. Achava que ainda precisava emagrecer mais 2 ou 3 quilos, que ainda estava gorda.

Tinha um problema grave de distorção de autoimagem.

Não conseguia me ver, me enxergar, me amar.

Estava obcecada pelo corpo e pela imagem.

Consegui manter esse corpo até o começo de 2015.  Ou seja, fiquei magrinha magrinha por mais de dois anos.

Foi quando chegou fevereiro de 2015, com o meu maior desafio profissional, recheado de dificuldades bem graves.

Tudo que tinha me feito crescer profissionalmente até aquele momento estava em xeque, estava sendo questionado. A minha competência, os meus valores, as minhas virtudes, tudo estava na mesa, sendo escrutinado. Diante daquilo, eu me sentia frágil, perdida, como se eu tivesse crescido em cima de mentiras.

Foi foda.

O resultado é que me desestabilizei emocionalmente e, óbvio, o que gordinho faz quando tem problema? Desconta tudo na comida e na bebida.

Aos poucos, fui engordando, engordando, engordando e terminei 2016 praticamente com o peso que eu tinha quando comecei a dieta Dukan.

 

Mas não voltei para a estaca zero não. Porque aprendi muita coisa ao longo desse período, inclusive o que quero e não quero de mim e para mim.

Entrei numa fase bem introspectiva e reflexiva, que me fez inclusive me afastar das atividades do blog.

Reforcei as sessões de análise, fiz coach para tentar resolver minha vida profissional, busquei cursos de meditação para me acalmar, me apoiei nos amigos e na família.

Passei a pensar no que fazia sentido para a minha vida.

O que realmente é importante para mim.

O que tem valor de verdade para mim.

Esse processo me levou a um mergulho profundo para me redescobrir.

E, no meio do caminho, percebi que eu não servia mais para manter o Emagrece Bolotinha do jeito que ele estava, porque eu não acreditava mais naquilo.

Dieta radical, com restrição alimentar como a Dukan, paleo, vegetariana, sem lactose, sem glúten? Para mim, não é sustentável.

Virar escrava da marmita, sem poder desfrutar momentos agradáveis com amigos, familiares e colegas de trabalho? Para mim, era uma chatice.

Cheguei a levar marmita até a happy hours na casa de pessoas queridas. A que ponto cheguei… Uó…

Deixar de ir a restaurantes deliciosos, curtir momentos especiais com as pessoas que eu amo, só para não engordar? Sim, fiz isso várias vezes. Valeu a pena? Tenho dúvidas.

Parar de beber o vinho que amo, me relaxa e faz bem para a minha saúde física e mental?

Por quê? Para quê? Só para ficar magérrima?

Eu não sou assim.

Eu não quero ser assim.

Não, não dava mais para seguir daquele jeito.

Eu precisava achar algum outro caminho.

Mas ao olhar o Instagram, o Facebook,

revistas femininas, os blogs que têm por aí, é como se não existisse outro caminho senão aquele que já havia me levado ao manequim 38.

Dieta restritiva, muita atividade física, e uma vigilância absurda para nunca derrapar (ou jacar, como eu costumava falar).

Não podia ser…

Eu não podia acreditar que essa era a única alternativa.

Levei o ano de 2016 e oito meses de 2017 para chegar até aqui e dizer: encontrei um outro caminho.

Eu estou de volta.

Mais forte, mais serena e mais segura do que eu quero para mim e e do que eu quero para esse blog.

Foto de agosto de 2017

O que eu quero para mim?

Ser feliz, ter saúde e me sentir à vontade com o meu corpo.

Hoje já tenho isso tudo. Graças aos meus esforços, ao apoio da minha família e dos meus amigos.

Meu trabalho aqui no blog será para manter o que conquistei.

Nada melhor do que compartilhar nossos acertos e erros com pessoas que estão olhando na mesma direção que a gente, não é mesmo?

Assim, a gente se ajuda. A gente cresce juntas.

Não vou mais fazer dieta.

Não vou mais cortar nada da minha vida.

Vou viver com consciência, com responsabilidade, com moderação.

Manja o “comer com equilíbrio” que a gente ouve há séculos? E a tão manjada lei da compensação: se abusou no almoço, segura a onda no jantar?

Então, é isso aí que estou praticando e vou continuar a praticar.

Porque não quero ser capa de revista. Não quero ser blogueira de dieta e nem blogueira fitness.

Quero apenas ser a Amanda que se sente bem nas suas roupas tamanho 40. Porque o preço de vestir 38 é alto demais e não estou a fim de pagar.

 

O que será o Emagrece Bolotinha a partir de agora?

Um espaço em que você encontrará dicas de vida saudável, equilibrada, para mulheres reais que nem eu, que trabalha, cuida da casa, da família, dos amigos, gosta de se divertir e curtir a vida ao redor de uma boa mesa, com uma bela taça de vinho na mão.

No Emagrece Bolotinha, também vou compartilhar receitas com vocês. Mas receitas de comida de verdade, daquelas de vovó, cheia de sabores e saúde, feitas com alimentos frescos, naturais, nas quantidades e horas certas.

Vou trazer para discussão notícias sobre dieta e bem-estar que estiverem bombando por aí. Quero continuar a jogar luz e discutir as tendências em alimentação e fitness. Porque a gente sempre aprende com isso. E o certo é aquilo que funciona pra você. Não estou aqui para cagar regra pra ninguém, muito menos pra julgar quem faz ou pensa diferente de mim.

Sempre que possível também vou compartilhar com vocês casos de sucesso que sirvam para nos inspirar. Nada melhor do que ver que alguém real como a gente conseguiu alcançar o sucesso, não é mesmo?

E, óbvio, não vai faltar memes pra gente se divertir e relatos dos meus acertos e erros, pra gente ir se apoiando nessa caminhada incessável em busca de saúde e bem-estar.

Contigo, essa minha jornada fica mais fácil, leve e rica.

Beijos

Atualizado em 10 de setembro de 2017

 

Para anúncios e parcerias: 

Envie um e-mail para amanda.brum@emagrecebolotinha.com.br

Para sugestões de pautas:

pauta@emagrecebolotinha.com.br

 

Curta meu Facebook: www.facebook.com/emagrecebolotinha 

Siga meu Instagram: @emagrecebolotinha

Siga meu Twitter @ebolotinha 

Pinterest www.pinterest.com/ebolotinha

7 Responses to O projeto

  1. Pingback: Junte-se a mim nessa saga rumo ao corpo que te pertence - Blog Emagrece Bolotinha - R7

  2. Pingback: Cole o meu cardápio e emagreça rápido com a Dieta Dukan - Blog Emagrece Bolotinha - R7

  3. Pingback: Para emagrecer, é preciso reconhecer seus pontos fracos e se planejar - Blog Emagrece Bolotinha - R7

  4. Ola td bem gostsria de saber se vc tem e-mail pois gostaria de fala com vc sobre dieta e so tenho e-mail obrigadoooooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *