Conheça a Ana, que mesmo grávida ficou mais magra do que na juventude

 IMG_9998
A coach Ana Peterlini, de 34 anos, deu a luz pesando menos do que pesava aos 18 anos, quando chegou a bater a casa dos 78kg.
“Fui para a maternidade pesando 71kg”, conta Ana. “Três meses depois eu já havia voltado ao meu peso ideal, que são 62 kg”, comemora a coach, que tem 1,72m de altura.
Segundo ela, o período da gravidez foi muito tranquilo, porque ela já havia passado por um processo profundo de autoconhecimento, que a ajudou a identificar os motivos que a faziam comer e beber além do necessário.
Quando engravidei, eu já havia conseguido me desenvolver internamente a ponto de lidar com esses motivos que me desestabilizavam, sem precisar descontar nas refeições e na cervejinhal”, explica. “Além disso, eu prezei muito pela saúde da minha bebê. Fiz tudo muito certo com a alimentação, porque quis cuidar da melhor forma da minha filha desde a barriga. O amor de mãe é maior do que tudo.”
Foi aos 15 anos que Ana começou a enfrentar dificuldades com o peso. “Cheguei a ganhar 12kg em duas semanas”, confessa. “Eu usava a comida como distração. Tinha dias que comia 2 pacotes de biscoito Passatempo com requeijão.”
A escalada de ganho de peso não parou por aí. Ao mudar do interior para a capital paulista para trabalhar, em 1999, é que ela alcançou seu peso máximo. Somente naquele ano ela ganhou 10 quilos, mais do que engordou na gravidez toda.
“Foi nesse momento que entrei na roda viva de tentar emagrecer com médico. Tomei anfetamina e fui parar nos 56kg, mas não durou muito tempo. Acabei ficando alguns anos na casa dos 60kg, mas com um pânico gigantesco de engordar mais do que isso.”
Em 2006 ela resolveu largar tudo – emprego, família, namorado – e partiu para passar uns tempos na Inglaterra.
“No auge da viagem voltei aos 56kg, belíssima, feliz com tudo o que eu estava vivendo e encantada com a liberdade de poder ser eu mesma, sem as máscaras que eu usava para ser aceita no Brasil”, relembra Ana. “Ao retornar ao Brasil, voltei à vida real e, de quebra, para o efeito sanfona.”
Insatisfeita com seu corpo, Ana foi várias vezes a uma médica que prescrevia remédio de venda proibida. “Cheguei a comprar até no mercado negro”, pontua.
Como ela finalmente venceu o problema com a balança? “Só consegui fazer as pazes com a balança quando fui capaz de entender os motivos que me faziam comer e vencê-los de vez”, explica Ana. “E isso só foi possível com o processo de autoconhecimento, que é justamente o que promovemos no curso de coaching de emagrecimento que vamos realizar a partir do dia 23 em São Paulo.”

Assista ao vídeo e entenda o que é coaching de emagrecimento

Quer entender mais sobre coaching e como esse processo pode te auxiliar a emagrecer?

Assista aos vídeos da coach Priscilla Andrade, da Foco em Você. Ela e a Ana Peterlini é quem vão dar o curso “Coaching de Emagrecimento: Treine sua mente e faça as pazes com a balança”, lançado em parceria com o Emagrece Bolotinha.

1a parte

 

2a parte

 

3a parte

Quer de verdade emagrecer? Vem comigo 

Gente, estou muito feliz em lançar um programa que tem tudo a ver com o que eu acredito. 

 Eu e a Foco em Você criamos um programa de Coaching de Emagrecimento. 

Acreditamos que emagrecimento real só ocorre quando há mudanças de hábitos, quando conseguimos alterar nossos padrões mentais. E o coaching pode se tornar uma poderosa arma nessa caminhada de transformação. 

Com a gente você aprenderá uma série de técnicas e terá acesso a diversas ferramentas que vão te ensinar a driblar as armadilhas do seu cérebro. Nunca foi tão fácil atingir os objetivos que você almeja. 

Vem com a gente!

 Vagas limitadas! 

Mais informações e inscrições aqui http://www.emagrecebolotinha.com.br/coaching-em-emagrecimento-treine-sua-mente-e-faca-as-pazes-com-a-balanca/

  

Substitua frases negativas por incentivos positivos

   

Quando você está lutando contra aquela vontade louca de comer algo que não precisaria (ou não deveria) comer naquele momento, o que você faz? Eu aprendi recentemente com um coach a reforçar frases positivas que me dão ânimo para seguir em frente, ao invés de ficar me reprimindo com palavras e expressões negativas que tomavam conta do meu debate mental entre meu “eu” a fim de manter a dieta e minha “Bolotinha Diaba”. Nada de “não come, eu não preciso disso” ou “não, eu acabei de comer e não estou com fome” ou mesmo “não, o prazer que essa comida me dará é passageiro e não compensa o quanto ela pode me engordar agora.” Passei a dizer para mim mesma frases como “comer isso agora vai me afastar dos seus objetivos de me manter saudável e no peso ideal” ou “pessoas saudáveis e no peso ideal agem de forma diferente com a comida e eu sou saudável e estou no peso ideal”. Parece bobo, mas tem funcionado que é uma beleza. Descubra as frases positivas e que fazem sentido pra você e coloque no lugar das negativas. A vida – e a relação com a balança – fica muito mais leve e tranquila.