Reality da Bolotinha: hora de sair às compras!

Quem está me acompanhando há mais tempo já sabe: resolvi fazer um trabalho de consultoria de imagem para ver se eu dava um jeito no meu problema de distorção, porque eu  vejo meu corpo bem diferente do que dizem que ele realmente está (eu me vejo bem mais gorda. E quando estava gorda, me via bem mais magra. Uma loucura só…). Por isso estou trabalhando há um tempo com as meninas da Assinatura de Estilo, que já identificaram quem eu sou, as cores que me favorecem, as proporções do meu corpo, me propuseram, na teoria, uma nova identidade visual , limparam meu guarda-roupa para começar a colocá-la em prática e agora me levaram para fazer compras. (Pra quem quiser rever os textos desse reality de transformação de imagem, basta clicar aqui).

Colega, esse lance de fazer compras com consultoras de imagem não é bolinho não!

Foi um choque atrás do outro!!!!

Comecei me achando ridícula, um hipopótamo de tão gorda. Sério, eu queria sair correndo das lojas.

Tudo o que elas tinham escolhido eu achava que não era para mim.

E toda peça que elas me entregavam eu achava que não ia me servir.

Mas, para minha grande surpresa, todas serviram.

E teve até peça número 36! Fiquei de cara….

À medida que eu ia experimentando mais roupas e indo a mais lojas, fui calibrando meus olhos e me gostando mais nas roupas que elas me propuseram.

Calça super estampada? Sim, ficou bem pra mim. Nem acredito!

Camisa, mesmo com os peitões que tenho? Também ficaram boas. Mal pude acreditar!

Cinto como acessório? Foi um choque, mas há cintos que me caem bem e me valorizam sim.

Eu aprendi demais nesse processo, embora não tenha comprado quase nada.

E a ideia não era comprar mesmo.

O objetivo era aprender a comprar.

Elas me levaram a lojas bem caras, que eu normalmente não frequento, para que eu tivesse a experiência de experimentar coisas diferentes.Eu podia ter pedido para ir onde eu sempre vou, ou mesmo a magazines “fast fashion” como C&A, Renner, Riachuelo ou Mariza. Mas gostei da proposta de ir a lugares que eu nunca entraria.

Elas me ensinaram a ver a qualidade dos tecidos, o corte das roupas, o acabamento das peças, o que me valorizava e o que não era tão bom assim para mim.

Elas me mostraram na prática a diferença que as cores certas podem fazer para o meu visual.

Com esses ensinamentos, tenho certeza que farei boas escolhas a partir de agora nas lojas em que eu costumo comprar.

Todas as fotos dessa experiência estão no Pinterest do blog. Vai lá dar uma olhada! Basta clicar em www.pinterest.com/ebolotinha 

Agora a próxima fase do processo é elas irem em casa e montarem looks com as roupas que ficaram no guarda-roupa, as que eu mandei para ajustar na costureira e as que eu vier a comprar.

Estou louca pra isso acontecer logo.

E pode deixar que vou contar tudinho pra vcs 🙂

 

Reality da Bolotinha: quase caí pra trás com a nova proposta de identidade visual!

As meninas da Assinatura de Estilo (@assinaturadeestiloconsultoria) me apresentaram a proposta delas para minha identidade visual.  Eu quase caí para trás! Colega, vou ser muito sincera, não consegui segurar as lágrimas que escorreram dos meus olhos na mesa do restaurante durante o nosso almoço, porque aquilo tudo mexeu demais comigo… (Quer ver? É só acessar http://www.pinterest.com/ebolotinha e abrir o painel “ID visual de Amanda Brum” que vocês verão tudo o que elas separaram pra mim).O estilo que elas me propuseram é lindo, as roupas são maravilhosas, mas a maior parte das peças que ali estavam para exemplificar a proposta visual me causaram muita confusão mental, porque passei a vida toda jurando de pés juntos que aquele tipo de vestimenta nunca seria para alguém como eu. Eu nunca imaginei que ouviria de duas profissionais da área de moda que eu poderia usar sim roupas como aquelas. Calça estampada? Saia com detalhes no quadril? Calças justas? Camisas e mais camisas? Colares grandes? Cores claras?!? Eu sempre achei que essas roupas não serviam para mim, porque tenho barriga grande, peito grande, sou baixinha, sou gordinha, blá, blá, blá. O que mais ouvi foi: “Não, Amanda, você pode.” Foi uma porrada ouvir “Não, Amanda, você não é mais gordinha”. “Não, Amanda, você pode sim usar camisa, basta saber escolher o corte e o tecido correto.” “Não, Amanda, você tem corpo para usar calça estampada e justa. Isso só vai valorizar a parte que você tem mais fininha no seu corpo.”…..

Eu quase vomitei de tão tonta que fiquei. Foi um baque grande demais. Não quis desencorajá-las, mas pago para ver eu entrar numa camisa sem que ela exploda nos peitos. Pago para ver uma calça estampada não me deixar parecendo um hipopótamo. Pago pra ver uma saia mais larguinha não me deixar feito um botijão de sainhas. Cara, se elas conseguirem me fazer ficar bem em roupas assim, eu realmente vou ter que admitir que não entendo nada de nada quando o assunto é moda. E, mais do que isso, terei que jogar a toalha e rever absolutamente todos os meus conceitos sobre minha imagem. Opa, a ideia não era justamente essa? Pois bem, acho que elas estão chegando cada vez mais ao ponto… Aguardemos cenas do próximo capítulo. Logo mais elas vão na minha casa para dar uma olhadinha no guarda-roupa. Aí a brincadeira ficará séria. Estou com medo… #emagrecebolotinha #rumoaimagemqmepertence #consultoriadeimagem #consultoriademoda #consultoriadeestilo #assinaturadeestilo #realitydemoda #realitydeestilo #realitydabolotinha #bolotinhafeliz #bolotinharepaginada #lookdabolotinha

Reality da Bolotinha: descobri que meu corpo é proporcional!  

Gente, para tudo! Quase tive uma síncope quando descobri que meu corpo é totalmente proporcional. Eu sempre achei que eu era esquisita, que minhas pernas eram mais curtas do que meu corpo, que minha cintura era deslocada para baixo, que meu quadril era mais estreito que meus ombros, etc, etc, etc… Mas não é nada disso!!! Eu sou 100% proporcional. Choque de realidade!!! Meu mundo caiu!!! Quanta fantasia a gente alimenta na nossa mente, não é mesmo? Praticamente posso usar tudo, qualquer tipo de roupa, porque não há nada que eu realmente precise anular visualmente em mim. Nem a barriguinha que tanto me incomoda é um problema de imagem, de acordo com as meninas da Assinatura de Estilo (@assinaturadeestiloconsultoria), que estão me dando consultoria para ver se eu resolvo de vez essa imagem distorcida que tenho de mim mesma. A única área do meu corpo que vamos trabalhar para amenizar é o peitoral, porque me incomoda o tamanho dos meus seios. Não vamos disfarçar nada, nadinha de nada além disso nas minhas roupas. Elas também identificaram quais são as cores que mais me valorizam, para que eu possa escolher melhor as peças que visto e parecer cada vez mais bonita e harmoniosa.
Funcionou assim: elas foram em casa e, à luz do dia, avaliaram minha cor sem maquiagem nenhuma. Elas usaram placas coloridas e foram verificando quais cores mais me ‘acendiam’, me deixavam mais viva e bonita. Depois de testar várias possibilidades chegaram à conclusão que minha paleta de cor é de inverno. Olha que bonita que ela é!
Para ver minhas proporções, elas amarraram um cordão na minha cintura e usaram dois paus para ver se eles ficavam alinhados ou se abriam mais para um lado ou para o outro. No meu caso, tudo ficou alinhado, o que prova que meus ombros são proporcionais ao meu quadril, que minha cintura está no meio do meu  tronco e que minhas pernas têm o mesmo tamanho que meu tronco.
Elas ainda aproveitaram que estavam em casa para já dar uma olhadinha no meu guarda-roupa. Já puderam ver o que terão pela frente e me deram algumas dicas que pretendo usar nos próximos dias. Porque o processo de transformação já começou, né!
Foi muito, mas muito legal. Até porque agora não tenho mais argumento para dizer que tenho um corpo esquisito e que tenho algo de errado comigo. Choque de realidade faz bem, viu! Mas dói. Estou meio zonza de tanta informação. Mas vamos que vamos! Hei de vencer essa minha maldita distorção de imagem. Quero me enxergar como realmente eu sou.
Leia os outros textos do “Reality da Bolotinha – a saga rumo à imagem que me pertence” neste link aqui.

Exercício de autoconhecimento: quem sou, quem não sou, quem quero ser?

Hoje conclui um dos exercícios mais difíceis da minha vida. E nada tem a ver com spining, HIIT, crossfit ou algo do gênero. O difícil mesmo foi escolher no Pinterest cinco imagens que transmitissem quem eu sou hoje visualmente, cinco pra mostrar quem eu não gostaria de ser de jeito nenhum e mais cinco para ilustrar como eu gostaria de me vestir. A atividade, proposta pela Assinatura de Estilo (www.pinterest.com/adeestilo), faz parte do programa de consultoria de imagem que estou fazendo, com o objetivo de melhorar a minha autoimagem, que ainda é muito distorcida (me vejo muito maior do que eu sou. E quando eu era enorme, nunca me enxerguei obesa, só me achava fofinha).

Caracas, nunca imaginei que fosse tão difícil fazer algo do gênero!!! O resultado está no painel “exercício de autoconhecimento”, que salvei no Pinterest do Emagrece Bolotinha (www.pinterest.com/ebolotinha). Vai lá dar uma olhada!!!

O fato é que me dei conta do quanto o meu guarda-roupa anda monótono, chato e distante de quem eu sou de verdade. Descobri que na maior parte do tempo eu me escondo atrás das minhas roupas, que vivo numa zona de conforto em que meus looks são como um muro de proteção para que ninguém consiga enxergar direito quem é que está lá dentro. Eu já fui assim, encasulada, mas hoje não sou mais não. Eu não tenho mais medo do que pode vir de fora, porque nunca estive tão bem e segura com o que vem de dentro de mim.  A dieta e as mudanças que promovi na minha rotina e na minha vida me ajudaram muito a me fortalecer e me amar mais.

O fato é que dizer quem eu não quero ser de jeito nenhum foi simples. Mas sintetizar em cinco imagens o que eu sou e quem quero ser foi complicado pacas. Muita responsabilidade para poucas imagens!

Logo logo vou me encontrar de novo com as meninas da @assinaturadeestiloconsultoria. Vamos ver o que a @carolcaliman e a @carlacatapstrauss vão dizer a respeito. #meeedo!

Reprodução Pinterest

Eu nunca seria assim! Reprodução Pinterest

 

queroserassim

Eu quero ser assim! Reprodução Pinterest

souassim

Hoje eu sou assim. Reprodução Pinterest

 

Como anda minha relação com o meu corpo?

Como anda minha relação com o meu corpo? O quanto estou satisfeita com meu busto? Barriguinha? Pernocas? Pés? Que imagem transmito com minhas roupas? O que eu nunca usaria? Se eu tivesse que salvar apenas uma peça do meu guarda-roupa, qual seria? Ai…. Que dureza essas perguntas… Essa é apenas uma pequena amostra do questionário de 57 itens que tive que responder para que as meninas da Assinatura de Estilo Consultoria possam me conhecer melhor. (Para quem não se lembra, elas estão me ajudando na árdua tarefa de melhorar minha relação com o espelho, porque minha autoimagem é completamente distorcida. ).

Gente, vou falar, esse processo de consultoria de imagem está mexendo profundamente comigo. Nunca tinha pensado em várias questões que surgiram ali. E nunca imaginei que refletir sobre esses pontos fosse interferir tanto nos meus sentimentos.

O fato é que nunca me senti tão bem comigo mesma. Nunca me senti tão feliz com quem eu sou e com o meu corpo. O problema é que vira e mexe me olho no espelho e o que vejo parece não ser eu, digo, eu de verdade, esse eu com quem estou tão satisfeita e que me faz me sentir tão bem… É como se a  imagem refletida no espelho fosse de outra pessoa, de uma pessoa com a qual não me identifico mais, que não diz mais nada pra mim.

Ui, ui, ui, que complicação! Haja terapia no cabeção e consultoria de imagem pra tentar desenrolar esse emaranhado de nós que confundem minha mente e meu coração.